quinta-feira, 6 de agosto de 2009

A poesia está no ar...



Na esquina do meu quarteirão, há uma árvore "majestosa" à beira da calçada.Altíssima, imponente, espargindo galhos sobre velhas e desbotadas casas que teimam em permanecer.

Há uns dez dias- mais ou menos-um delicioso bailado de folhas grandes e amareladas preencheu aquele canto tão cor de cinza.Chuva de folhas mortas. Aos borbotões.
Poético, triste e lindo.

Vivi essa queda inteira com admiração e sobressalto.(Minha alma foi ficando cada vez mais amarela... mais do que já é!)E o chão foi se cobrindo de folhas envelhecidas, um tapete espesso, por onde todos passam, pisam. Ninguém se importa. Ou vê.

Nessa manhã, porém, quando uma imensa folha-bailarina planou em meu parabrisa, olhei para o alto e...Surpresa! Poucas estão lá ainda, mas os galhos...ah! estes! estão verdinhos de folhas tenras e tímidas.Nascem. Abrem-se sutilmente para o azul.

É a vida,árvore, metáfora perfeita: o velho descartado, eis o jovem.

Cíclico ad eternum.

Pensei em Cecília Meirelles: "Tudo está certo, no seu lugar,cumprindo seu destino"
É apenas questão de olhar e ver.
Sentir...
descobrir um jeito mais simples de ser feliz!

Um comentário: