quinta-feira, 26 de novembro de 2009

A arte de pensar sem riscos.


Não fossem os caminhos da emoção a que leva o pensamento, pensar já teria sido catalogado como um dos modos de se divertir. Não se convidam os amigos para o jogo por causa da cerimônia que se tem em pensar. O melhor modo é convidar apenas para uma visita e, como quem não quer nada, pensa-se junto, no disfarçado das palavras.

Isso, enquanto jogo leve. Pois pensar fundo – que é grau máximo do hobby – é preciso estar sozinho. Porque entregar-se a pensar é uma grande emoção, e só se se tem coragem de pensar na frente de outrem quando a confiança é grande a ponto de não haver constrangimento em usar, se necessário, a palavra outrem, Além do mais, exige-se muito de quem nos assiste a pensar: que tenha um coração grande, amor, carinho, e a experiência de também de ter dado a pensar. Exige-se tanto de quem ouve as palavras e os silêncios – como se exigiria para sentir. Não, não é verdade. Para sentir exige-se mais.

Bom, mas, quanto a pensar com divertimento, a ausência de riscos o põe ao alcance de todos. Alguns risco tem, é claro. Brinca-se e pode-se sair de coração pesado. Mas de um modo geral, uma vez tomados os cuidados intuitivos, não tem perigo.

Como hobby apresenta a vantagem de ser por excelência transportável. Embora no seio do lar seja melhor, segundo eu. Em certas horas da tarde, por exemplo, em que a casa cheia de luz mais parece esvaziada pela luz, enquanto a cidade inteira estremece trabalhando e só nós trabalhamos em casa mas ninguém sabe – nessas horas em que a dignidade se refaria se tivéssemos uma oficina de consertos ou uma sala de costuras – nessas horas, pensa-se. Assim: começa-se do ponto exato em que se estiver, mesmo que não seja de tarde, só de noite é que não aconselho.

Uma vez, por exemplo – no tempo em que mandávamos roupa pra lavar fora – eu estava fazendo um rol. Talvez por hábito de dar título ou por súbita vontade de ter o caderno limpo como o de escola, escrevi: rol de... E foi nesse instante em que a vontade de não ser séria chegou. É o primeiro sinal de animus brincandi, em matéria de pensar – como – hobby. E escrevi, esperta: rol de sentimentos. O que eu queria dizer com isso tive que deixar pra ser depois – o outro sinal de estar em caminho certo é o de não ficar aflita por não entender.

Então comecei uma listinha de sentimentos dos quais não sei o nome. Se recebo um presente dado com carinho por uma pessoa de quem não gosto – como se chama o que eu sinto? A saudade que de tem da pessoa de quem a gente não gosta mais, essa mágoa e esse rancor – como se chama? Estar ocupada – e de repente parar por ter sido tomada por uma súbita desocupação desanuviadora e beata, como se uma luz de milagre tivesse entrado na sala: como se chama o que se sentiu?

Mas devo avisar. Às vezes começa-se a brincar de pensar, e eis que inesperadamente o brinquedo é que começa a brincar conosco. Não é bom. É apenas frutífero”


Clarice Lispector in Brincar de pensar
Instigante...como tudo que vem dela.

Para Bruna - que coloriu o meu dia.
( Telas de Clarisse / angustia existencial)

4 comentários:

  1. Gizelda

    é muita inteligência e emoção e tudo num mesmo texto...

    Meu Deus!

    Aliás, Clarice também é uma das provas da existência d'Ele.

    Beijão pra você.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo post, Giselda! Legal ver o pensar desta maneira. Eu nunca havia pensado assim, como um hobby.
    Esta frase “a vontade de não ser séria chegou”, adorei esta frase.
    Olhe, sou um desconhecido, entro em vários blogs sempre que posso, para ver o que estão fazendo nessa novíssima literatura e quando encontro pessoas que postam algo tão agradável, original, eu faço o convite para conhecerem meu blog: http://jefhcardoso.blogspot.com/ .
    Se aceitar ao meu convite, lhe recomendo a leitura da sessão de contos e poemas com fotos em preto e branco, especialmente O Céu de Anabela.
    Abraço: Jefhcardoso, fisioterapeuta que escreve por hobby.

    ResponderExcluir
  3. Oi,João...

    Tem razão,tudo é criação d'Ele e poder usufruir disso com os sentidos aguçados é uma benção.

    Obrigada pela visita.
    bjs

    ResponderExcluir
  4. Obrigada,Jefh...pela visita,pelo
    comentário.

    Volte.Sempre será um prazer.

    bj.

    ResponderExcluir