sábado, 2 de maio de 2009

A Lição de Música.


Lê este texto em voz alta e em diferentes intensidades
Varia também a velocidade em que o lês
Baixo
Forte
Calmo
Rápido
Vence
Por isso
Essa timidez que te acanha e que te constrange a tomar posse do que aqui está e a extroverteres-te
Afirmando que és capaz
Lê-o como se tivesse sido escrito por ti e coloca-lhe a pontuação que entenderes
Dá-lhe também a entoação que quiseres
Integra-o ao sabor dos teus humores e de preferência experimenta voltar a lê-lo já com um humor diferente e sempre em voz alta
Tenta abstrair-te da forma em que está escrito e não te deixes condicionar pela sugestão de se tratar ou não de um poema
Sem alterares o texto
As palavras que se encontram escritas
A não ser nos pormenores do género fazendo-o
Se quiseres
Coincidir contigo próprio
Com aquele que consideras ser o teu género
Ou aquele em que te queres meter
Dramatizando
Pinta-o tu
Interpreta-o
É fundamental que o interpretes
Faz como o músico que tendo de respeitar o que está escrito na pauta
No entanto a instila da sua própria anima não deixando de descurar a técnica
Melhor
Tendo
Por isso
De apurar a técnica
Portanto
Lê-o até sair fluido e sem hesitações
Sem fífias ou desafinações como se diz em linguagem musical
Repete as partes onde as dás até se desvanecerem
Não o texto integral mas apenas essas partes e cola-as bem coladas
Ligando-as
Ao texto
Numa unidade coerente
Pontua o que lês com pausas o que te obriga
Uma vez mais
Ao estudo interpretativo que a elas as permitas fazer com toda a oportunidade
É a própria interpretação
Ela também
Que te irá fornecer a cor adicional àquilo que lês
Quebrando
Desse modo
O monocórdico de um monólogo feito de muita tecnicidade mas sem nenhuma veia
Repete e volta a repetir até o texto sair como se fosse teu
E como se o tivesses de dizer
Com toda a naturalidade e convicção
A uma imensa assembleia
Fixa
Para tal
Um ponto abstracto e tão distante quanto o possível
Cerebral e profundo
No teu interior
Pois que não há maior distância do que essa
Para que
Assim
Consigas projectar a tua voz em direcção a ele e logo a toda a assembleia
Tenta distanciar-te de ti próprio e ouve-te a ti mesmo
Como se não fosses tu que falasses mas um teu eu intermédio entre ti e o público
Entre ti e o texto também
Distancia-te mais ainda
Como se te visses
Com espírito crítico
Ao espelho
No espelho do público e no espelho do texto
E se quiseres
Para te ajudar e se assim te sentires mais à vontade no exercício que te proponho
Então
Ao leres
Apoia-te em música de fundo do teu gosto ou selecciona-a dos anexos deste blogue
Fazendo
No entanto
Sobressair a tu voz a tudo o resto
Ouve
Finalmente
Se gostas do que lês
Se não gostares do resultado final
Se calhar
É porque o texto não te merece
Se gostares
É porque a lição de música chegou ao fim

Jaime Latino Ferreira ( A Música das Palavras)

2 comentários:

  1. Ana Lívia Mendonça6 de maio de 2009 09:31

    Professora Gizelda,
    é com enorme prazer que venho aqui te fazer um convite. Minha tia, Vanda Amorim, advogada, escreveu um romance que sera lançado pela Editora Globo agora no mês de maio. E eu gostaria muito de enviar um convite a vc.
    Estou procurando pelos queridos professores e colegas que conheci em toda a minha vida. O romance é lindo e - sabendo que vc é uma super leitora - nao poderia deixar de te enviar esse convite. Gostaria apenas que vc mandasse o seu endereço para meu e-mail...Para que eu possa enviar o convite o quanto antes. Espero que vc ainda se lembre de mim. Eu nao te esqueço!
    Meu e-mail é analiviajm@hotmail.com
    Espero que vc tenha ficado feliz com o convite, pois estou te convidando com o maior prazer!
    Fique com Deus!
    Beijos
    de sua aluna de algum tempo ja..Ana Livia Mendonça

    ResponderExcluir