sábado, 15 de setembro de 2007

Não sei...



Não sei o que quero ou o que não quero.

Deixei de saber querer, de saber como se quer, de saber as emoções ou os pensamentos com que ordinariamente se conhece que estamos querendo, ou querendo querer.

Não sei quem sou ou o que sou.

Como alguém soterrado sob um muro que se desmoronasse, jazo sob a vacuidade tombada do universo inteiro.

E assim vou, na esteira de mim mesmo, até que a noite entre e um pouco do afago de ser diferente ondule, como uma brisa, pelo começo da minha impaciência de mim."

Texto 184 -Livro do Desassossego -Bernardo Soares (F.P.)

Um comentário: